Você já se perguntou por que não somos eletrocutados dentro de um carro durante um dia de tempestade, já que o veículo é feito de metal? Ou então, como é que o celular perde o sinal dentro de elevadores mesmo sendo um aparelho com bateria e carga elétrica armazenada?

Isso ocorre porque tanto os veículos, quanto os elevadores, possuem uma proteção que nos mantém seguros em situações como estas, onde poderia haver efeitos nocivos da descarga atmosférica. Esse fenômeno é chamado de blindagem eletrostática.

A blindagem eletrostática foi descoberta por Michael Farady em 1936. Ele criou um experimento, chamado de gaiola de Faraday, onde uma estrutura metálica recebia descargas elétricas, enquanto uma pessoa ficava no meio do interior da estrutura, sem ser atingida pelas descargas. Ele concluiu que as cargas positivas, quando espaçadas, se repulsavam, mantendo o interior nulo.

Até hoje essa ciência é utilizada nos mais diversos campos industriais, para evitar ou reduzir as interferências eletrostáticas nos ambientes.

Reduzir as interferências

1) Na indústria

Dentro de indústrias, por exemplo, existem diversos tipos de materiais e tecnologias que convivem entre si e que, somadas ao tipo de construção, podem emitir energia eletrostática capaz de gerar problemas, se não forem isoladas da forma adequada.

A blindagem eletrostática é uma das medidas para prevenir interferências eletrostáticas, mas temos outras, tais como:

– Aterramento;
– Média de sinais;
– Filtros e amplificadores;
– Contenção de ruído elétrico.

Fontes de energia ou instalações inadequadas, ou ainda o uso de equipamentos não recomendados para isolamento pode prejudicar a performance dos sistemas e se tornar um perigo para as pessoas ao redor, com possibilidade de grandes acidentes.

2) Em casa

Trazendo para o ambiente mais íntimo, no nosso dia a dia, seja dentro de nossas casas ou se trabalhamos com manutenção de computadores, por exemplo, podemos tomar algumas medidas preventivas para evitar aquele desagradável choque, quando tocamos ou estamos próximos de materiais que são ou estiveram recentemente energizados:

• Certifique-se de que a construção é aterrada. Se não tiver certeza, procure um eletricista;
• Ao plugar um computador na energia elétrica, procure uma tomada com fio-terra;
• Evite andar de meias sobre carpete e em seguida tocar o computador ou a televisão, ou qualquer outro equipamento elétrico. Essa é uma combinação perfeita para o choque eletrostático;
• Ao fazer qualquer tipo de checagem ou manutenção em computadores, televisores, certifique-se que está desativado da fonte de energia;
• Ao realizar manutenção, procure fazer em locais isolados, como uma mesa de madeira. Evite ambientes próximos a metais;
• Não deixe outros componentes elétricos, metálicos e celular por perto. Estes materiais são condutores de energia e podem causar danos aos sistemas e acidentes;
• Evite ambientes úmidos. Se o ambiente for úmido, abra as janelas na hora que for realizar o trabalho;
• Se você trabalha com manutenção de hardwares, por exemplo, recomenda-se a aquisição de uma pulseira antiestática. Esta é uma pulseira plástica que deve ser ajustada ao pulso e conectada ao equipamento;

Mesmo com todas essas orientações, nunca se esqueça de manter distância e evitar tocar ou segurar componentes metálicos energizados. Essa é a melhor maneira de reduzir as interferências e ficar a salva.

Quer saber mais sobre o tema? Navegue pelas páginas do blog do Instituto Instronic.