Entre os principais objetivos da análise de lubrificação está a avaliação completa da qualidade, da consistência e da temperatura do óleo em questão. Por meio deste procedimento de teste de óleo para lubrificação, é possível que os profissionais técnicos saibam se o líquido está devidamente apto para ser utilizado nos mais diferentes tipos de dispositivos e equipamentos.

Em geral, uma parte bastante considerável das maquinarias e equipamentos, precisam de algum nível de lubrificação. A técnica contribui para operarem da maneira adequada e não apresentarem defeitos e/ou falhas técnicas.

É por este motivo que a análise de lubrificação é importante. Ela previne contra incidentes que podem vir a causar defeitos nos equipamentos. E, ao mesmo tempo, atesta a qualidade do óleo colocado em avaliação.

Neste texto, mostraremos em maiores detalhes quais são os fundamentos da análise de lubrificação dos óleos e como ela impacta de maneira positiva na produção e qualidade da utilização deste tipo de produto. Acompanhe a leitura e confira.

Qual é a função da lubrificação?

Antes de adentrarmos na questão do funcionamento da análise de lubrificação, é interessante destacar quais são os principais objetivos desta característica da composição deste tipo de óleo. Como citamos acima, grande parte dos equipamentos precisam de algum nível de lubrificação para evitar danos em seu funcionamento.

Uma das funções essenciais é diminuir significativamente os possíveis desgastes e atritos que podem surgir ao longo do funcionamento. Outra finalidade dos óleos lubrificantes é atenuar o calor que surge do atrito ou pelo próprio funcionamento do equipamento.

Ao formar uma espécie de “filme de lubrificação”, o óleo previne, portanto, que a maquinaria cause corrosão enquanto está em funcionamento. Dessa forma, evita danos técnicos no equipamento e eventuais prejuízos.

Leia mais sobre conteúdos parecidos em nosso site.

Como funciona?

O procedimento de análise de lubrificação dos óleos tem duas finalidades fundamentais:

  • a identificação das características específicas do produto e
  • a antecipação de prováveis falhas de maquinaria que podem ser causadas pela falta ou pelo mau desempenho do óleo lubrificante.

De forma geral, os óleos lubrificantes apresentam duas falhas principais ao longo de seu processo de teste: um deles é o problema que ocorre por motivos de contaminação de partículas. Estes causam desgaste do equipamento ou também a contaminação gerada por elementos de fora, como a água, por exemplo.

O segundo problema frequente é a degradação ou diminuição das propriedades de lubrificação do óleo por motivo de fatores como a mudança de composição do produto. Isso interfere diretamente na qualidade do mesmo e em seu desempenho quando aplicado aos diferentes equipamentos.

Conheça as vantagens

Uma das vantagens que mais se destacam quando falamos da análise de lubrificação é a diminuição das falhas que podem vir a acontecer em razão da deficiência dessa propriedade do óleo.

Ao fazer isso, essa avaliação contribui para uma redução de desgastes nos equipamentos e consequentemente faz a manutenção deles se tornar mais barata e menos frequente também.

Por conseguinte, o intuito principal da análise de lubrificação é assegurar que o óleo esteja adequado para uso e devidamente filtrado; também é avaliado se o produto está mantendo a temperatura certa para o funcionamento das máquinas.

Gostou do conteúdo? Leia sobre assuntos relacionados em nosso site.