A termografia é uma técnica de medição que se utiliza de dispositivos eletrônicos sensíveis à radiação infravermelha e ao calor. Ligar estes dois pontos é bastante simples: corpos e objetos emitem energia que será proporcional à sua temperatura. É justamente a leitura desta relação que fazemos através da termografia infravermelha.

A análise termográfica é parte fundamental das atividades de manutenção preditiva. Sabemos, afinal, que o desgaste e mau funcionamento de diversos equipamentos tem relação direta com a temperatura elevada. Nos dispositivos utilizados para medição a relação entre temperatura e radiação é representada por diferentes cores.

Amarelo, laranja e vermelho traduzem os diferentes graus de aquecimento do objeto. Da mesma forma que verde e tons de azul mostram o seu resfriamento. Existem no mercado desde equipamentos termovisores portáteis, até sistemas de monitoramento industriais fixos. Um termovisor geralmente possui 3 componentes principais.

Em primeiro lugar estão as lentes que recebem a radiação. Na outra ponta encontramos os monitores, que exibem as imagens onde o calor está representado por cores. Entre um e outro é necessário o detector de infravermelho e um sistema de processamento.

Termografia infravermelha na prática: onde a técnica é aplicada

Na prática a termografia serve para fins de manutenção de sistemas e equipamentos. As inspeções preventivas identificam quando a temperatura pode indicar a existência de um problema. Um dos exemplos mais comuns neste sentido é a avaliação de quadros de energia.

O procedimento é feito principalmente em estabelecimentos comerciais. Pois sabemos que qualquer falha nestes ambientes pode gerar acidentes de proporções graves, já que basta um curto-circuito para iniciar um incêndio. Na indústria o mesmo cuidado e tecnologia servem para identificar possíveis disfunções no maquinário.

Nesses casos, além do risco de acidentes, o superaquecimento pode gerar a perda de produção. A maior vantagem da termografia como elemento de prevenção é que ela pode ser utilizada sem desligar os circuitos. Tampouco há necessidade de parar a produção durante o processo.

O equipamento termovisor pode ser utilizado ainda para checar o funcionamento de sistemas de resfriamento em câmaras frias. Além de atestar a eficiência da refrigeração, a aplicação serve para identificar pontos de fuga ou entrada de ar. O reparo posterior não só permite que os elementos presentes na câmara sejam preservados melhor, como gera economia para empresa.

Usos da termografia na indústria mecânica

A termografia infravermelha quando aplicada na mecânica permite identificar algumas condições específicas de funcionamento adverso. O atrito entre peças é um bom exemplo, embora não seja o único. Também existe a possibilidade de averiguar a falta de lubrificante e problemas de alinhamento.

Nos sistemas elétricos podemos realizar levantamentos similares. Basta um termovisor para identificar desgaste, oxidação e mau contato. Não menos importante é lembrar que os equipamentos portáteis dão aos técnicos, o que é preciso para realizar testes de campo.

Em resumo, a termografia infravermelha é uma ferramenta de manutenção preditiva e análise de sistemas e que tem diversas aplicações. Para ficar bem informado sobre tecnologias que aprimoram as atividades de indústria, engenharia e eletrônica, confira outro de nossos artigos.