O processo de resfriamento dos transformadores é essencial. Todo e qualquer um deles, passa por um aquecimento muito grande, o que é natural, devido ao efeito joule e todas as correntes que passam por dentro dele. Os dois principais métodos de resfriamento são o, a óleo e o seco. Mas qual diferença entre transformador a óleo e transformador seco? Confira neste artigo!

O processo de resfriamento

Os modelos de transformador usam o óleo e o ar, respectivamente, para fazer o resfriamento do transformador. No primeiro, isso é feito através da troca de calor entre o óleo e o ambiente, e o segundo é através da movimentação do ar. É possível também que o transformador tenha alguma espécie de bomba ou motor, para fazer o ar e o óleo circularem, de modo a tornar esse processo ainda mais eficiente.

Outra função destes materiais dentro de um transformador, é funcionar como um isolante térmico das bobinas. Neste caso, o transformador a óleo é mais eficiente, já que o a seco tem uma rigidez dielétrica muito maior do que o a óleo.

Mas, agora que você conhece um pouco mais sobre os transformadores, pode ficar a dúvida: qual é o melhor? E se você quiser conhecer mais sobre transformadores ou outros equipamentos elétricos, confira o nosso blog!

A comparação entre transformador a óleo e transformador seco

Cada transformador tem a sua vantagem e desvantagem, e a escolha do melhor depende da sua expectativa e da sua necessidade. Por isso, vamos analisar alguns pontos referente aos transformadores para ajudar a escolher o melhor.

Começando pela segurança, que é um ponto em que o transformador a óleo tem uma pequena desvantagem. O óleo é inflamável, o que significa que é preciso ter uma estrutura mais bem preparada para a sua instalação. Normalmente ele demanda uma estrutura para combater o risco de incêndios, como portas corta-fogo, além de um sistema de recolhimento do óleo caso este vaze.

Já o transformador a seco, além de ter uma vantagem de ser mais seguro, pode ser instalado mais próximo das máquinas, pois não precisa de uma estrutura tão sofisticada para suportá-lo. Além disso, por conta dessa proximidade, também existe uma redução no custo dos cabos necessários para a instalação.

transformador a óleo

Relação com o ambiente

Existe ainda a questão do impacto ambiental. Por conter óleos, esse tipo de transformador apresenta um risco ambiental maior, de vazamentos do mesmo. Para evitar isso, o equipamento deve passar por uma série de manutenções periódicas. Deste modo, a substituir o próprio óleo, as juntas e alguns outros materiais do transformador. O transformador a seco, por trabalhar apenas com o ar, apresenta uma necessidade de manutenção consideravelmente menor.

Por fim, além da questão do impacto no meio ambiente, existe o impacto que o ambiente tem no transformador. A opção a seco não é sensível a umidade e a outros fatores ambientais. Já o a óleo é afetado pela umidade, pela salinidade e por fatores oxidantes. Esse é outro motivo pelo qual a necessidade de manutenção é maior.

Agora que você já conhece mais sobre os transformadores a seco e a óleo, pode tomar uma decisão mais informada de qual é o ideal para a sua situação!

Gostou do conteúdo? Então continue no nosso blog, leia muito mais sobre os equipamentos elétricos e continue aprendendo!
Para cursos na área de manutenção elétrica, faça uma visita ao nosso site. Você encontrará também artigos variados sobre o assunto, além de equipamentos para testes, medições e outras atividades na área.