Transformadores são peças fundamentais da rede elétrica que garantem a chegada de energia a nossas casas e equipamentos exatamente do jeito que eles precisam. Para isso, ele recebe eletricidade de um circuito e transmite a outro com tensão, corrente e a impedância adequada para que domicílios, empresas e indústrias tenham energia de forma correta.

1 – Especialização é fundamental para a manutenção de transformadores

Manutenção em transformadores de potência

Nas subestações de energia, apenas profissionais especializados podem ter acesso aos transformadores, realizando sua manutenção. Aptidão e conhecimentos técnicos são necessários, pois transformadores são equipamentos complexos, que exigem cuidados, segurança e ferramentas adequadas.

2 – Ladrões morrem eletrocutados ao roubar transformadores

Transformadores são peças repletas de fios em seu interior, às vezes feitos de cobre ou outros metais com alto valor de venda. Por isso, bandidos invadem estações e sobem em postes para tentar roubar equipamentos ativos. Em boa parte das vezes, são eletrocutados com um choque fatal.

3 – É possível medir correntes sem tocar no circuito

Utilizando um equipamento chamado alicate amperímetro, é possível medir a corrente de um circuito na manutenção sem que seja necessário o contato com os fios, o que pode causar curto circuito com uma medição equivocada. O chamado efeito Hall permite a medição por aferição do campo magnético.

4 – É possível realizar testes com ultrassom

Nem todo teste precisa ser feito com desmontes e danos. É possível realizar testes com ultrassom, tal como nos exames pré-natal. Emissão de vibrações acima da frequência audível pelo nosso ouvido incidem sobre as partes dos equipamentos, e seus reflexos são interpretados por aparelhos modernos. Qualquer imperfeição será percebida pelo ultrassom, possibilitando uma manutenção mais precisa.

5 – Reformas da parte ativa deixam o transformador quase como novo

Com a mão de obra especializada e os equipamentos corretos, é possível realizar reformas completas de toda a parte ativa do transformador, que é a que mais se desgasta. Com isso, a vida útil do equipamento é expandida quase com a duração da vida útil original.

6 – Existem normas técnicas para a manutenção de transformadores

As normas técnicas NBR para a obtenção de padrão ISO 9001 determinam detalhes para a manutenção dos transformadores em subestações. De acordo com as normas, as companhias precisam oferecer infraestrutura completa para a operação e a manutenção dos equipamentos no caso da rede pública. Em caso de instalações privadas, o proprietário precisa arcar com as despesas e oferecer o que é exigido pela norma.

7 – Transformadores particulares precisam de laudos técnicos

Para a realização de manutenção em transformadores de empresas privadas, é necessário contratar profissionais que, além de especialização, precisam de laudo elétrico e também gozar da Anotação de Responsabilidade Técnica (ART). Isso garante que apenas pessoas que realmente entendem do assunto lidem com esses perigosos equipamentos.

8 – O óleo isolante interfere muito no funcionamento do transformador

Para garantir o bom funcionamento do transformador, os fios interiores ficam em contato com um óleo isolante, que impede curtos-circuitos. Entretanto, falhas e instabilidades podem alterar as propriedades deste fluído, que deve ser substituído anualmente.

9 – Óleo ruim, vida útil mais curta

Assim como o motor de um carro, se for utilizado óleo isolante de má qualidade em um transformador, a tendência é que ele tenha uma vida útil mais curta. Vale a pena investir em qualidade de equipamentos.

10 – A especialização poupa custos adicionais

O trabalho de uma equipe especializada nem sempre custa barato, mas certamente dá menos despesas do que consertar um transformador danificado ou ficar sem a função do equipamento. Prevenção e predileção sempre são melhores que correção.

Gostou? Acesse outros de nossos conteúdos e saiba mais sobre Manutenção e Ensaios em Transformadores: https://www.institutoinstronic.com/